sábado, 26 de março de 2011

amar/gostar

Certa vez ouvi uma frase que mexeu muito com minha percepção do amor e da simpatia. Na oportunidade a moça que conversava rodeada por outras jovens, aconselhando-as sobre o matrimônio utilizou a seguinte frase para falar sobre como reagiu a uma desavença com seu marido: “Eu amo você. Mas no momento não estou gostando de você.
Imediatamente fui tomada por uma compreensão plena do que ela quis dizer com a frase, além do que, devido a alguns fatos em minha vida, sempre que estou insatisfeita com o comportamento de alguém que amo me vem a mente este tão sábio, mas tão simples, pensamento sobre o amor.
Amar alguém vai muito além dos erros e acertos dessa pessoa. É possível manter o amor apesar de talvez não se gostar no momento. Não se gostar das atitudes, não se gostar da forma de encarar e reagir, não gostar de palavras, não gostar da pessoa no momento... Sem, contudo, deixar de amá-la por isto.
O amor é paciente, tudo espera, tudo suporta... essas são algumas virtudes do amor verdadeiro que são pontuadas neste lindo e famoso texto bíblico (I Co. 13) O amor que é paciente, contudo, não deixa de demonstrar quando não está gostando de esperar. Espera, muitas vezes incomodado, sem gostar da espera... mas ama.
O amor que tudo suporta não se deixa abalar. É forte. É firme. E apesar das tempestades que enfrenta, se mantém, suportando tudo, por amor. Pode estar desgostoso dos sofrimentos, desgostoso das adversidades, mas se mantém suportando... amando.
Amar sem gostar é possível. Amar é uma fenda na alma. Encontrando-se o amor verdadeiro adquire-se uma marca profunda e eterna na alma para o resto da vida. Gostar é um estado tão momentâneo... Manter o amor que goste, manter um gostar por amor: desafios a serem vencidos na arte de amar/gostar.




Nenhum comentário:

Postar um comentário